Rosana Louzada participou da inauguração do CEAM de Japeri




Rosana Louzada participou da inauguração do CEAM de Japeri


Por Redação

Em 2019, Rosana Louzada foi torturada pelo ex-companheiro, que já havia sido agredida diversas vezes, afirmou que foi espancada inclusive durante a gravidez, quando já estava com 7 meses de gestação.

“Ele chegou a me levantar pelo pescoço com uma mão só. Eu cheguei a segurar na mesa e o que estava em cima caiu e quebrou os copos. Ele me bateu também porque os copos haviam quebrado e estava fazendo barulho durante a madrugada”, contou Rosana.

“Eu cheguei a me urinar. Ele me fez abaixar e limpar. Eu cheguei a escorregar na minha própria urina. Eu sujei a parede e ele me fez limpar”, acrescentou a vítima falando sobre as agressões durante o período em que estava grávida.

O resultado das horas de terror foi perder parcialmente a audição de um dos ouvidos. A docente afirmou que advogados de defesa do ex-companheiro, Davidson da Silva, tentam descaracterizar o crime de tortura para tentar um habeas corpus na Justiça.

A professora Rosana Louzada foi torturada pelo ex-companheiro por 12 horas — Foto: Marcos Serra Lima/G1

A professora Rosana Louzada foi torturada pelo ex-companheiro por 12 horas — Foto: Marcos Serra Lima/G1

Rosana, que agora luta para manter o ex- companheiro na prisão, acredita que será morta caso ele seja solto. Apavorada, a mulher disse que não dorme ou come direito. Ela também vive um período de provação pessoal, lamentando a surdez parcial e o extremo a que tudo chegou.

Moradora de Japeri, Rosana foi destaque na mídia nacional e é uma referência no combate ao feminicídio.

Com informações do G1