Instale nosso app na tela do seu celular


Participe do nosso grupo no
WhatsApp
Japeri
Japeri
Japeri
Japeri



  • Empresa de segurança traz para a Baixada projeto de descarbonização


    A sustentabilidade é uma palavra muito utilizada no dia a dia. Mas o que é isso?

    Toda empresa precisa emitir poluentes na Natureza para produzir seus produtos ou prestarem seus serviços. Seja uma empresa que utiliza dezenas de carros consumindo CO2 ou uma indústria queimando carvão para produzir diversos produtos.

    Todo esses poluentes prejudicam o planeta e se não houver uma preocupação sobre o futuro, não haverá futuro.

    Pensando nisso, as empresas comprometidas com o Meio Ambiente participam de um projeto de descarbonização, ou seja, as empresas tomam diversas medidas para reduzir o impacto das suas atividades industriais ou comerciais.

    Sobre esse assunto, a Prosegur esta desenvolvendo esse trabalho na região, mais especificamente em Seropédica.

    Confira:

    O Grupo Prosegur iniciou um projeto de compensação de emissões de CO2 com o objetivo de alcançar o seu compromisso de descarbonização até 2040, ou seja, 10 anos antes do estabelecido pelo Acordo de Paris. O plano teve início com a compensação de emissões de CO2 geradas pelas operações da empresa na Europa, através de um projeto de gestão de resíduos localizado em Seropédica, no estado do Rio de Janeiro que, desde a sua implementação, já evitou a emissão para a atmosfera de mais de 2,5 milhões de toneladas de CO2 (Certified Emission Reduction).

    O Grupo irá implantar o programa de compensação de emissões nos 26 países em que opera de forma gradual. A próxima região a entrar no projeto será a Ásia-Pacífico, à qual seguirá a compensação de emissões na América Latina.

    “A escolha do Brasil para iniciar o projeto de compensação da geração de carbono não é um acaso. O País é um dos mercados mais relevantes para a empresa e uma das áreas com maior biodiversidade no mundo. Por isso, nós estamos profundamente orgulhosos da nossa contribuição para o cumprimento do Acordo de Paris e estamos convencidos de que fazer do mundo um lugar mais seguro passa também por fazer do mundo um lugar mais sustentável”, comenta Antonio Rubio, Secretário-Geral do Grupo Prosegur.

    O Grupo Prosegur é a primeira empresa global de segurança privada a avançar com um projeto de Descarbonização. A decisão dá continuidade às medidas já implementadas para reduzir as emissões produzidas pelas atividades da empresa. Desta forma, vale destacar algumas ações, como a redução de 10% nas emissões de CO2 em perímetro constante em 2020; a substituição de 10% dos veículos da frota para híbridos e/ou elétricos e, por fim, o consumo total de energia ser proveniente de fontes renováveis na Espanha.

    Todas essas iniciativas fazem parte do Plano Diretor de Sustentabilidade, aprovado recentemente pelo Conselho de Administração da empresa. A estratégia demonstra o empenho da companhia no processo de transformação para uma sociedade global sustentável, em consonância com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas. A empresa já integrou todos os 17 ODS na sua estratégia empresarial e de gestão, na qual trabalha de forma intensa em 10, que são aqueles em que o Grupo Prosegur pode, realmente, fazer a diferença.

    O Plano Diretor de Sustentabilidade está estruturado em quatro áreas principais de ação: Ética, Transparência e Governança; Pessoas; Segurança no Trabalho e Meio Ambiente. No total, existem 63 iniciativas específicas para as quais a empresa global definiu um conjunto de indicadores detalhados que permitem medir o seu impacto e evolução. Além disso, um Comitê de Sustentabilidade, liderado pelos membros do Comitê de Direção, foi criado para definir, principalmente, os objetivos, planos de ação e práticas da empresa nessa área. Com a criação do órgão e a nova função de supervisão por parte da Comissão de Sustentabilidade, Governança Corporativa, Nomeações e Remunerações, a sustentabilidade se configura como uma linha de ação prioritária para a empresa. Por último, cabe destacar que a remuneração variável da alta direção da empresa passa a ser vinculada diretamente à realização dos objetivos de sustentabilidade da companhia.